Presidente do CROSP alerta sobre o tabagismo e o câncer bucal

Em 31 de maio será celebrado o "Dia Mundial Sem Tabaco". Mais de 14 mil pessoas são diagnosticadas, anualmente, com câncer de boca no Brasil.

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Agosto 2015 Edição do Mês
Cláudio Miyake

Cirurgião-dentista. Presidente do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo - CROSP.


Além disso, aproximadamente quatro mil brasileiros morrem em razão da doença todos os anos. Os dados alarmantes são do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Se não diagnosticado de forma precoce, o câncer de boca pode causar sérios danos físicos e psicológicos ao paciente. É fundamental, portanto, que ao menor sinal de mudança no aspecto dos lábios ou da cavidade bucal, o paciente procure um cirurgião-dentista para realizar o exame e, se for o caso, o diagnóstico da doença.

Prevenção também é fundamental. A Organização Mundial de Saúde (OMS) atesta que cerca de 90% dos pacientes diagnosticados com câncer de boca eram fumantes - ainda que passivos. Pode-se afirmar, consequentemente, que o tabagismo representa um dos principais fatores de risco da patologia.

A relação direta do câncer de boca com o cigarro deve, portanto, ser motivo de reflexão. E o próximo domingo é simbólico dentro de tal contexto. Em 31 de maio será celebrado o "Dia Mundial Sem Tabaco". A data foi criada oficialmente em 1987, a partir da preocupação da OMS de alertar a população mundial sobre a necessidade de combate ao tabagismo.

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) compartilha da mesma preocupação e tem promovido ações diversas de conscientização da sociedade sobre os males do cigarro e, especialmente, os perigos do câncer de boca. Destaca-se o apoio incondicional do Conselho à campanha "Sorria para a Vida", promovida pela Associação Brasileira dos Cirurgiões-Dentistas (ABCD), em parceria com a FDI (Federação Dentária Internacional), cujo objetivo principal é a prevenção ao câncer bucal.

O CROSP apoiará sempre políticas públicas que possam inibir o consumo do tabaco. No Brasil e, especificamente no Estado de São Paulo, já há conquistas importantes nesta área. Esse é o caso, por exemplo, das restrições publicitárias para marcas de cigarros, do aumento nas cargas tributárias que incidem sobre o produto e também da Lei Antifumo.

Outros avanços são necessários, sem dúvida. Mas pequenos gestos também podem ser revertidos em resultados maiores. Faça a sua parte e, a partir de hoje, junte-se a essa corrente positiva de combate ao câncer e de conscientização sobre os males do tabaco.

 

Notícias Relacionadas